Créditos

Responsável pela Sustentabilidade | Mônica Alcântara

Responsável pela publicação | Guilherme Bourroul

Consultoria GRI e coordenação editorial | usina82

Projeto gráfico e desenvolvimento web | GIZ Propaganda

Fotografia | Eduardo Moody e acervo Odebrecht Agroindustrial

Compromisso com os Integrantes

Ética, Transparência e Integridade Desenvolvimento Local

G4-DMAG4-10

Em nossos seis Polos Produtivos e nos escritórios de São Paulo e Campinas, somos mais de 11 mil Integrantes e trabalhamos de forma incansável para chegar aos objetivos definidos anualmente no Programa de Ação (PA), pactuado entre Líderes e Liderados. São os PAs que nos orientam em relação aos projetos, investimentos, treinamentos e outras ações nas quais investimos para aumentar nossa produtividade e competitividade e gerar valor para nosso Acionista, Clientes, Integrantes e Comunidades.

A valorização e o desenvolvimento dos Integrantes, frente ao alcance das metas e da melhoria contínua de nossas operações, são o ponto central da governança direcionada para a valorização das pessoas. O resultado do respeito a esse compromisso e do relacionamento sólido e transparente com os profissionais pôde ser verificado, na safra 2016/2017, por meio do forte índice de reputação que a Empresa possui com suas equipes. No estudo que conduzimos no início de 2017, motivados pela pesquisa que o Grupo Odebrecht fez com seus públicos, apuramos um indicador de 70,7 (em uma escala de 0 a 100).

Um dos pontos mais bem avaliados pelos Integrantes é a atenção da Empresa às questões relacionadas à segurança e à saúde das pessoas. Outros fatores valorizados são a contribuição para o desenvolvimento sustentável das comunidades locais, a qualidade dos produtos e serviços e a responsabilidade com a preservação ambiental. O levantamento também apontou áreas nas quais existem oportunidades para melhorarmos nosso reconhecimento, como a atuação dos Líderes e o desenvolvimento de inovações.


Na última safra, reforçamos e ampliamos o Programa de Produtividade Mensal (PPM), passando a abranger toda a área agrícola e de manutenção automotiva. O PPM é uma ferramenta que reconhece financeiramente os Integrantes que superam as metas estabelecidas para o período. Dessa forma, fortalecemos entre nossas equipes a atitude de “Dono do Negócio” e o crescimento da produtividade, com transparência e participação ativa dos Líderes na divulgação das metas e do progresso do programa ao longo dos meses.


O reconhecimento aos nossos Integrantes pelo bom desempenho e a superação das metas também se evidencia com o número de lançamentos, denominação que damos às promoções de cargos. Na safra, um total de 1.037 Integrantes foram lançados a novas posições, seguindo as diretrizes e competências definidas pelo nosso Programa de Carreiras – amplamente divulgado a todos os Integrantes desde o momento de sua contratação.

Com a consolidação do Programa de Carreiras e a estabilização de nossas equipes, demos início, na safra 2017/2018, à elaboração do nosso Programa de Sucessão, que envolverá o mapeamento dos profissionais com as características necessárias para ocupar posições de Liderança e garantir a sustentabilidade do nosso Negócio. Com a aplicação dessa ferramenta, poderemos subsidiar o crescimento da Empresa nos próximos anos, mantendo a excelência técnica e os elevados padrões de produtividade que alcançamos.
Integrantes por gênero Mulheres Homens
Administrativo/SSMA 45% 55%
Planejamento e Qualidade 31% 69%
Indústria/Manutenção/Agrícola 11% 89%



Desenvolvimento e Capacitação
G4-DMAG4-LA9

Os investimentos que realizamos para a qualificação de nossos Integrantes são contínuos e estão alinhados à filosofia que norteia o desenvolvimento das pessoas desde a fundação do Grupo Odebrecht: identificar, integrar e desenvolver profissionais com talento e disposição para o empresariamento.

Nossos treinamentos são organizados em uma matriz de qualificação baseada em três grandes temas:

• Obrigatórios, que estão voltados para atender requisitos legais ou diretrizes das Políticas da Odebrecht;
• Essenciais, que se referem a conhecimentos técnicos e comportamentais orientativos aos Integrantes para o desempenho pleno de suas atividades;
• Desenvolvimento, voltados para o crescimento na Carreira, que agregam conhecimentos importantes para competências e habilidades, permitindo um horizonte para novos desafios na carreira dentro da Odebrecht Agroindustrial ou mesmo no âmbito do Grupo Odebrecht, adotando um crescimento transversal.

O investimento em capacitação dos nossos Integrantes na safra 2016/2017 apresentou-se estável em relação ao período anterior, reflexo da estabilização das equipes, o que permite a preservação e a disseminação do conhecimento adquirido.

Parceria para qualificação técnica dos Integrantes
Em 2016, celebramos uma parceria com a Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul (UEMS) para a criação do curso superior para tecnólogo em produção sucroalcooleira, com uma grade curricular diferenciada que atende as necessidades do mercado. O acordo de cooperação possibilitou a criação da primeira turma com 50 Integrantes do Polo Santa Luzia (Mato Grosso do Sul).

O diferencial do curso foi a criação da grade curricular, voltada para as necessidades do mercado. O curso tem duração de dois anos e meio e as aulas são diárias e presenciais. Os Integrantes, que receberam bolsa de incentivo acadêmico, aperfeiçoarão seus conhecimentos nas áreas agrícola, industrial e de manutenção. A iniciativa também conta com a parceria da Fundação de Apoio ao Desenvolvimento de Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado do Mato Grosso do Sul (Fundect) para a contratação de professores e da Prefeitura de Nova Alvorada do Sul, com suporte para as instalações, livros didáticos e logística dos educadores.

Compromisso com a Diversidade
Pela convicção da cultura empresarial aliada à adesão ao Pacto Global da ONU e por seu Princípio 6, que visa estimular práticas para eliminar a discriminação no emprego, atuamos na safra 2016/2017 para promover a maior equidade de gênero e a integração de Pessoas com Deficiência (PCDs) em nossas equipes. Para engajar nossos Integrantes em torno do tema, realizamos dois workshops, com um dia inteiro de apresentações e plenárias, envolvendo nossos seis Polos Produtivos.

Os encontros contaram com a participação de profissionais das áreas agrícola, administrativa, industrial e de manutenção. Cerca de 30% dos envolvidos atuam em posição de liderança, o que contribui para que as informações e diretrizes apresentadas sejam disseminadas entre as equipes das Unidades.

Após a realização dos workshops, estruturamos dois grupos de trabalho internos: um focado em equidade de gênero e outro, na inclusão de PCDs. Também definimos ações práticas a serem tomadas a partir deste ano, visando a fortalecer e a ampliar a diversidade na Empresa.

No aspecto da equidade de gênero, por exemplo, temos o objetivo de capacitar nossos Líderes para que os processos de recrutamento e de avaliação de desempenho sejam ainda mais meritocráticos e abram continuamente novas e maiores oportunidades para o ingresso de mulheres em todos os cargos da Empresa.
Buscaremos, adicionalmente, abordar questões como a importância da licença-maternidade e o aumento gradativo do número de mulheres em nosso quadro de Integrantes.

Com foco na inclusão de PCDs, uma de nossas prioridades é multiplicar o modelo de atuação desenvolvido pelo Polo São Paulo no Projeto Acreditar na Diversidade, que recebeu, na sede da ONU, o reconhecimento global “Boas Práticas para Trabalhadores com Deficiência”.

Clique aqui para conhecer o Projeto Acreditar na Diversidade.




Segurança e Saúde dos Integrantes
G4-DMA

A segurança de nossos Integrantes é fundamental para o desenvolvimento e o crescimento sustentável de nossos negócios. Apoiados no Sistema Atitude, por meio do qual monitoramos o desempenho de nossas Unidades em aspectos relacionados à Segurança, Saúde e Meio Ambiente (SSMA), e em diretrizes e procedimentos internos para evitar a ocorrência de acidentes, temos evoluído continuamente na construção de um ambiente de trabalho cada vez mais seguro e na conscientização de nossos Integrantes.

Com 16 Elementos, sendo quatro deles considerados Estruturantes por sustentarem a conscientização de segurança da Empresa, a implementação do Sistema Atitude é acompanhada por meio de comissões responsáveis pela avaliação e capacitação das Lideranças. Com essa metodologia, alcançamos pela primeira vez em nossa trajetória um índice inferior a 1 na taxa de frequência, que mensura o número de acidentes com lesões em nossas operações.

Apesar dessa evolução significativa, registramos em outubro de 2016 o óbito de um Integrante após o tombamento de um caminhão que havia atuado no controle de foco de incêndio na palha da cana, oriundo de descarga atmosférica. O acidente, ocorrido na Unidade Conquista do Pontal (Polo São Paulo), evidenciou a importância de reforçamos a prática dos Elementos Estruturantes, em especial os que dizem respeito ao desenvolvimento comportamental e o compromisso das Lideranças com o tema. Havia mais de dois anos que não registrávamos uma fatalidade em nossas operações.

Uma das principais medidas adotadas após o acidente foi a realização de um workshop com os responsáveis pelas áreas de emergência, agrícola e de SSMA de todas as Unidades para revisão e ajuste do Requisito de Atividades Críticas (RAC) de incêndio agrícola. Entre as alterações está a obrigatoriedade de formalização das reuniões de finalização das ações de combate a incêndio para identificar oportunidades de melhoria, implementação de protocolo médico para avaliar a saúde dos brigadistas, a utilização de termômetros a laser para evitar incêndios decorrentes de superaquecimento dos elementos rodantes das colhedoras e a definição de um protocolo mínimo de segurança para atuação em incêndios de palhada.

Além disso, estamos estudando a adoção de drones para monitorar os procedimentos de contenção do fogo e a instalação de sistemas GPS que auxiliarão os líderes de brigadas na localização dos veículos envolvidos. Também iniciamos o levantamento de benchmarkings com outras empresas, como as indústrias de papel e celulose, a fim de identificar as melhores práticas e procedimentos a serem adotados nessas situações.

A taxa de frequência de acidentes registrada em 2016/2017 foi, pelo segundo ano consecutivo, o melhor resultado histórico da Empresa. O desempenho superou a meta estabelecida para o período (1,21), principalmente pela maior presença das Lideranças em campo, pelas campanhas de conscientização e pela disciplina na aplicação das ferramentas de prevenção de acidentes e de compartilhamento de lições aprendidas. A taxa de gravidade foi impactada pelo óbito ocorrido no Polo São Paulo e ficou acima da meta estabelecida, de 39 dias perdidos a cada 1 milhão de horas/homem trabalhadas. Na revisão das metas para o próximo triênio, reforçamos o compromisso inegociável de não haver fatalidades nas operações e a necessidade de acompanhar criteriosamente Integrantes afastados por acidentes, garantindo que recebam o melhor tratamento e possam se recuperar mais rapidamente. G4-DMAG4-LA6
Os RACs são protocolos que estabelecem padrões e procedimentos para a operação segura de atividades que apresentam risco de acidentes. Para a safra 2017/2018, passamos a contar com 14 RACs, após a criação um procedimento específico que trata da operação do hilo, equipamento utilizado para o descarregamento da cana-de-açúcar nas Unidades Agroindustriais.



Segurança no Transporte
Além de monitorar a segurança em nossas operações agrícolas e industriais, buscamos evoluções contínuas para evitar a ocorrência de acidentes no transporte de nossos Integrantes. Para isso, contamos com o Programa de Segurança Veicular, implementado desde a safra 2012/2013, que permite avaliar o desempenho na movimentação dos veículos leves e pesados. Essa medida tem se mostrado cada vez mais eficiente para a redução dos acidentes, uma vez que os índices de ocorrências com as frotas de apoio, de transporte de Integrantes e de cana-de-açúcar apresentaram, no último ano, o melhor resultado histórico.

Na safra 2016/2017, no município de Mineiros (GO), houve um acidente grave com um ônibus que transportava Integrantes. O veículo disponibilizado por uma empresa de transporte contratada colidiu com um caminhão quebrado na rodovia, que não possuía área de acostamento e sinalização adequada, causando a morte de um Integrante. O ônibus acidentado era novo e atendia a todas as condições mecânicas para a realização do transporte de pessoas. Após a avaliação das causas, estamos estudando medidas e tecnologias que possam ser implementadas nos veículos para aumentar ainda mais a segurança nesse tipo de atividade.

O índice de acidentes no transporte de Integrantes encerrou o ano pouco acima da meta (desempenho de 0,65 versus meta de 0,64). Para alcançar a evolução prevista para os próximos anos, intensificaremos os requisitos do Programa de Segurança Veicular, fortaleceremos o rigor no acompanhamento de ocorrências e substituiremos Fornecedores cujas performances têm sido abaixo dos padrões estabelecidos.

No transporte de cana-de-açúcar, alcançamos uma redução de 32% na comparação anual, mas ainda assim ficamos 20% acima da meta prevista para o período. O acompanhamento próximo das empresas contratadas para essa atividade continua sendo realizado em nossas Unidades, a fim de implementar os pontos de melhoria identificados, como manutenção preventiva dos veículos, alinhamento de padrões de SSMA, engajamento da liderança e capacitação das equipes.

Em relação aos veículos leves, houve piora na última safra. Para recuperar o patamar de desempenho e atingir as metas previstas para os próximos períodos, vamos reforçar a sensibilização dos condutores e a disciplina no acompanhamento de não conformidades.

A frota de apoio obteve o melhor resultado histórico do indicador na safra 2016/2017 e ficou 36% melhor do que a meta. Essa performance é reflexo das ações tomadas, como a implementação do sistema de telemetria em 100% dos veículos e treinamento de todos os condutores em direção defensiva.
A melhoria de desempenho é reflexo do Programa de Segurança Veicular e das medidas aplicadas pelas Unidades em parceria com os Fornecedores.

Atenção com a Saúde
Com o objetivo de melhorar a saúde e a qualidade de vida de nossos Integrantes, estreitamos o relacionamento com os médicos e equipes de saúde dos municípios em que estão nossos Polos Produtivos. Nossos médicos do trabalho passaram a acompanhar os casos de enfermidades e atendimentos aos profissionais da Empresa nos estabelecimentos locais, visando a dar mais qualidade e atenção aos tratamentos necessários.

Essa atuação mais próxima e proativa contribuiu para mantermos a tendência de redução no nível de absenteísmo justificado com atestados médicos verificado nas últimas safras. Além disso, no último ano-safra reforçamos nossos programas de acompanhamento e controle da saúde ocupacional, capacitando as equipes das Unidades Agroindustriais.

G4-LA6